Como a indústria do cinema, da música e dos jogos estão formatando as empresas do futuro

cultura futuro inspiração
cinema

 

Nesse artigo vamos te mostrar o que rolou em um bate-papo com Luiz Guilherme Guedes e Affonso Solano no CM Summit 2022, em que os especialistas falaram sobre a indústria do entretenimento e como elas vão impactar as empresas do futuro.

 

Luiz Guilherme Guedes é fundador do grupo Epic, um grupo de startups de economia criativa de campanha, conteúdo, curso, metaverso e qualquer coisa que engaje as gerações y e z.

 

Affonso Solano trabalha com comunicação e entretenimento. É escritor da série de livros O Espadachim de Carvão e autor do podcast Matando Robôs Gigantes.

Falando sobre o passado, Guedes menciona que a comunidade gamer era muito mais restrita do que é hoje. Ele faz uma comparação com a série Stranger Things:  “Não é à toa que o Stranger Things está fazendo tanto sucesso. A gente era aquele grupinho do Stranger Things. Aquilo ali retrata um pouquinho de dramaticidade. Enquanto tava todo jogando bola e namorando, a gente estava na biblioteca matando o demogorgon (personagem de Stranger Things) na fantasia. Então, desde pequenininho, a gente já estava inserido num conceito que a gente pode chamar de comunidade, era uma comunidade que na época era um pouco excluída.”

 

Em contrapartida, hoje em dia, o nerd gamer já é muito mais aceito. Hoje é sexy ser nerd, ser gamer.

 

Dentro do conceito de comunidade, a gente tem o Community Manager, que é quem lidera a comunidade, exerce uma certa influência.

 

 

Falando sobre as comunidades nesse mundo do entretenimento, como no caso dos filmes, Affonso citou o exemplo da Marvel.

 

“Marvel junto com o Disney e junto com o Lucas Artes, pra mim, são os melhores exemplos de comunidades transmídias no mundo atualmente…do bonequinho, ele é discutido numa comunidade de colecionadores de action figures que seguem um podcast que vai para um vlog. Ou seja, tudo se conecta, é a comunidade é um grupo de pessoas unidas por uma cultura e a cultura é isso que você acabou de descrever.”

 

Esse exemplo mostra a importância de uma comunidade não estar em um único canal. 

 

Falando sobre senso de pertencimento, existe uma preocupação de você criar um senso de pertencimento. Esse senso de pertencimento vem de uma conexão legítima que esse público vai fazer com a sua marca, no sentido do que a sua marca representa em termos de lifestyle com essa pessoa.

 

Então é essencial que um community manager, alguém que quer trabalhar uma comunidade, crie esse vínculo emocional com a audiência, com os clientes que ele está montando.

 

Você precisa gerar essa ponte emocional, porque caso contrário, ele vai trocar muito fácil a sua marca por qualquer outra marca. 

 

Como é que a gente gerencia essa comunidade, como é que a gente influencia a comunidade, como é que a gente gera esse vínculo emocional autêntico com a comunidade?

 

Um dos exemplos que eles citaram nesse bate-papo foi o show do Coldplay, que rolou no Rock In Rio 2022.

 

Coldplay fascinou a comunidade dele, dos fãs. A primeira coisa que eles fizeram foi manter o que os fãs as músicas mais conhecidas que os fãs queriam ouvir. Eles entregaram o que os fãs pediram.

 

Primeiro, eles entregaram uma pulseira de inteligência artificial, que mudava de cor de acordo com as batidas das músicas, para quem estava no show.

 

Com isso, eles nutriram a comunidade de fãs com uma inovação que eles não estavam esperando. Ou seja, aquele famoso assim eu vou dar mais do que eles estão esperando. 

 

Sobre inclusão, eles tomaram o cuidado de ajudar aqueles que têm deficiência auditiva e que estavam no show. Então, quem tinha deficiência auditiva e que ouvia pouco eles deram algumas mochilas que vibravam conforme a música. Conforme a música tinha pico, as pessoas sentiam a vibração e, para quem não ouvia nada, ele cantou uma música inteira com playback fazendo.

 

Por fim, o vocalista da banda cantou uma música super conhecida do repertório deles, que chama Magic, toda em português, adaptando o conteúdo para aquele público.

 

Então esse é um exemplo belíssimo pra gente seguir em termos de nutrição de comunidade.

 

As comunidades gamers e da cultura pop estão, cada vez mais, impactando as gerações.

 

Eles mencionaram que 75% da população mundial joga algum tipo de jogo e que cada vez mais as pessoas estão gostando de séries e de tudo o que tem a ver com essa cultura pop.



O que você diria para uma audiência, né, que quer começar a impactar uma comunidade nerd, geekie, gamer, de cultura pop de alguma forma? Qual seria o primeiro passo que você iria sugerir para quem não faz parte do nosso mundo, né? 

 

Eu acho que um dos passos, não sei se é o primeiro, mas um dos passos chave para que você tenha essa fidelidade que a gente está falando.

 

Finalizando o bate-papo, eles mencionaram o exemplo do filme do Sonic. 

 

O primeiro era horrível. Sonic que era feio e o pessoal falava do dente do Sonic. O que eles fizeram? Ouviram a comunidade e consertaram o que estava errado.

 

Então, se você, Community Manager, escuta o consumidor e leve em conta a sua opinião, você conseguirá fazer essa conexão e vai gerar uma com o consumidor.

 

Pra ver o bate-papo completo, é só acessar o vídeo abaixo:

 

 

 

Emiliano Agazzoni
Emiliano é o maior especialista em estratégias para comunidades do Brasil e desenvolveu o primeiro curso e workshop sobre estratégias de comunidades do país antes de fundar a Community Manager School.

 

Receba nossa newsletter semanal