Comunidade de conteúdo adulto ajuda marca a faturar 1 milhão de reais em 2022

dados estratégia eventos inspiração
carreira em comunidade

 

Conteúdo adulto ainda é um tabu pra muita gente, mas você sabia que uma comunidade voltada para este segmento ajudou a faturar mais de 1 milhão de reais só em 2022?

 

É isso que vamos ver nesse resumo da palestra da Maíra Fischer, Community Manager do Buupe, uma plataforma de compra e venda de conteúdo adulto. 

 

Como funciona o Buupe

 

Buupe é uma comunidade que surgiu em 2021e é resultados de uma comunidade muito maior, que é o Sexlog - uma rede social adulta de origem brasileira voltada para swing, encontros sexuais, sexo virtual e exibicionismo.

 

Sexlog é a maior plataforma de sexo e swing da América Latina e conta com 17.000.000 de usuários. Por isso, a comunidade Buupe já nasceu muito grande.

 

O OnlyFans, uma famosa rede social de criadores de conteúdo que podem cobrar uma assinatura mensal para que seus seguidores acessem suas publicações, teve um grande crescimento em 2020.

 

Por causa do grande crescimento do OnlyFans, a comunidade do Sexlog sentiu necessidade de ter uma plataforma própria, rápida, segura e simples de produção e venda de conteúdo adulto, só que não era permitido fazer esse tipo de venda dentro do Sexlog, por isso o Buupe nasceu.

 

Buupe já nasceu sendo uma comunidade de relevância porque veio do Sexlog, uma comunidade muito maior.

 

No Buupe, você pode adquirir conteúdo de outras pessoas ou vender seus conteúdos. E, claro, por se tratar de um produto diferente, exige muito cuidado. 

 

A estratégia da comunidade pra conseguir faturar mais de 1 milhão de reais

 

Falando sobre resultados, Maíra menciona: “Esse resultado de mais de 1.000.000 de reais movimentados é total fruto do engajamento e da criação da nossa comunidade.”

 

Ela menciona qual foi a estratégia que ela, como Community Manager, aplicou no Buupe pra aumentar a comunidade e converter em faturamento.

 

O primeiro passo foi fazer prospecção.

 

“Decidi olhar para dentro do Buupe, pras pessoas que já estavam lá, que já estavam na plataforma que já utilizavam o nosso produto. Então, eu comecei a passar um tempo dentro da plataforma, comecei a olhar alguns perfis, prestar atenção na qualidade do conteúdo, os termos que eram utilizados, a legenda que era feita e comecei a utilizar a busca para pesquisar termos específicos que eu já sabiam que eram de relevância para a nossa comunidade.”

 

 

Uma outra prospecção muito importante pra comunidade foi a prospecção em rede social.  

 

Maíra menciona que ela procurava produtoras de conteúdo que já faziam conteúdo adulto, que já tinham sucesso ou poderiam ter maior sucesso para trazer essas pessoas pra dentro do Buupe.

 

“Eu queria trazer pessoas que pudessem vender bem no Buupe, que tivessem potencial de crescimento. Então, eu passava uma semana olhando o trabalho daquela produtora dentro das redes sociais, Twitter, Instagram e quando eu tinha certeza que ela era uma forte candidata para monetizar no Buupe, fazia o primeiro contato, me apresentava e apresentava a plataforma.”

 

Com essas 2 prospecções, ela começou a iniciar o relacionamento com essa comunidade.

 

Sobre isso, ela comenta: “Esse foi um momento muito importante para mim, como Community Manager. Foi quando eu tive a oportunidade de conhecer de fato a minha comunidade. Eu pude ouvir, entender os anseios, quais eram as dores de quem estava vindo de outra plataforma, quais eram as expectativas delas nessa nova plataforma, que no caso era o Buupe. E, foi com essas informações que eu entendi as subdivisões dentro de uma comunidade que se relacionava com o Buupe.”

 

A comunidade contava, até o momento, com 160.000 pessoas. Com esse número grande de pessoas, não tinha como todos eles serem iguais. Com isso, Maíra precisava ter certeza de quais eram essas subdivisões. 

 

Como ela fez isso? 

 

  • mapeou padrões;
  • conversou com quem já estava dentro da comunidade;
  • conversou com as pessoas que estavam chegando na comunidade;
  • buscou entender como era a vida dessas pessoas de alguma forma, o que elas costumavam fazer, etc.

 

Com isso, ficou muito claro que cada subdivisão da comunidade do Buupe tinha expectativas e anseios diferentes. Então, eles começaram a personalizar a maneira de tratar e ver o que cada uma dessas comunidades precisavam. 

 

Entender essas subdivisões e o que elas esperavam do Buupe, foi extremamente importante para o sucesso da plataforma.

 

Depois disso, Maíra mencionou 5 pontos que foram essenciais pra ela entender a comunidade.

 

  • Ponto 1  - Monitoramento em grupos

 

Maíra começou a monitorar o que era falado do Buupe em outras plataformas. 

 

Ela participava de grupos de WhatsApp, grupos do Telegram, grupos do Facebook, no Twitter, de pessoas que estavam vendendo conteúdo adulto e ficava monitorando quando o assunto era plataforma de conteúdo adulto.

 

Ela queria entender o que as pessoas falam do Buupe, se falam bem, quais são os pontos principais, qual é o ponto que está causando essa insatisfação. 

 

  • Ponto 2 - Monitoramento do sucesso de vendas 

 

Muito importante entender se elas estavam vendendo bem, se não estavam, o que é que estava causando isso.

 

Com isso, Maíra descobriu que algumas subdivisões tinham diferentes efeitos de vendas. 

 

Ter essa informação foi decisivo para que ela pudesse orientar a sua comunidade de vendedoras.

 

  • Ponto 3 - Saber o preço correto

 

Em relação ao preço cobrado, ela menciona: “É importante verificar o preço cobrado por essas produtoras de dentro da minha comunidade. Não é interessante para mim, não é interessante para o Buupe e não é interessante para ninguém na minha comunidade que os preços cobrados pelos conteúdos sejam injustos, extremamente baixos e que desvalorize o produto produzido. Por isso, comecei a monitorar o ticket médio do Buupe.”

 

  • Ponto 4 - Monitorar os níveis de satisfação dos membros.

 

Esse é um indicador extremamente importante para entender o bem-estar da comunidade e também se as diretrizes da plataforma estão sendo seguidas corretamente.

 

Todos esses passos que ela menciona levaram a comunidade para um novo ponto.  

 

  • Ponto  5 - Fazer eventos presenciais 

 

Esses eventos eram muito importantes para monitorar essa comunidade e para trazer produtoras cada vez mais próximas do Buupe.

 

Como colocar em prática essas estratégias?

 

Maíra preparou um passo a passo pra você colocar tudo isso em prática na sua comunidade.

 

  • Passo 1 - Busque conhecer a sua comunidade para que ela possa crescer. 
  • Passo 2 - Ouça e conheça as dores e as expectativas dos membros. 
  • Passo 3 - Entenda se existem subdivisões dentro da sua comunidade e quais são as particularidades dessas subdivisões.
  • Passo 4 - Trabalhe com os feedbacks.
  • Passo 5 - Crie um relacionamento verdadeiro com a sua comunidade
  • Passo 6 - Mapeie os padrões.

 

Pra finalizar, ela menciona: “Desde que o Buupe começou a fazer estratégias de gestão de comunidade, a gente não parou de crescer em nenhum mês desde 2021. Isso é fruto de um trabalho muito bem feito, que obviamente não é individual, ele é coletivo.”

 

Pra assistir a essa palestra completa, é só clicar no vídeo abaixo.

 

 

 

Emiliano Agazzoni
Emiliano é o maior especialista em estratégias para comunidades do Brasil e desenvolveu o primeiro curso e workshop sobre estratégias de comunidades do país antes de fundar a Community Manager School.

 

Receba nossa newsletter semanal