Maratona CM School: sua comunidade como vantagem competitiva

digital eventos inspiração
carreira em comunidade

 

Nesse artigo você vai ver o resumo do que rolou na nossa primeira aula da maratona.

 

Essa aula contou com a presença de 4 community managers.

 

 

 

A aula iniciou com o Emiliano Agazzoni, fundador da CM School, dando as boas vindas a galera e explicando sobre como será essa maratona. 

 

Depois o Emiliano falou que a comunidade é uma Vantagem Competitiva que não pode ser copiada. 

 

Também mencionou que uma comunidade se trata de:

 

  • Pessoas;
  • Nicho específico;
  • Construção original;
  • Liderança transparente;
  • Encantamento;
  • Transformação;
  • Confiança nas crises;
  • Nutrir lealdade e construção de fãs.

 

Todos esses pontos são o que cria uma identidade diferente. 

 

Ele falou sobre a diferença entre o marketing tradicional e o marketing de comunidade. As principais diferenças são:

 

Marketing tradicional: 

 

  • Movido por uma marca;
  • Feito por poucos;
  • Feito da porta pra fora;
  • Download;
  • Motivados por um líder;
  • Fechado.

 

Marketing de comunidade:

 

 

  • Movido pelos clientes;
  • Feito por muitos;
  • Tras o cliente pra dentro
  • Upload;
  • Motivados pela comunidade;
  • Aberto

 



Emiliano falou de 18 exemplos de comunidades:

 

 

  • Nike
  • Lululemon
  • Duolingo
  • Talk´n Talk
  • Sales Force Trailblazers
  • RD Station Partnes
  • Harley Davidson
  • Couchsurfing
  • AirBnb
  • Panini
  • Sindilegis
  • Conectados do terceiro setor
  • Olhar de Bia
  • Nubank 
  • Cisco
  • Pipefy
  • Sallve
  • Natura

 

 

 


Como as comunidades ajudaram no nascimento da Nike

 

 

Depois dessa primeira parte, contamos com a participação da Samanta, Estela e Melissa que começaram se apresentando.

 

A Estela, community manager do aplicativo Canva, trabalha em uma comunidade de professores do ensino infantil, fundamental e médio e sua comunidade está no Facebook. 

 

A Melissa, especialista em marketing de canal na RD Station e trabalha nessa empresa a 6 anos.

 

A Samanta, community manager da XP Inc, comunidade focada em tecnologia.

 

Uma das primeiras perguntas feitas no chat, foi da Isabella Barthem:


-“Estou iniciando nesse tema de comunidades agora… gostaria de saber se tem alguma boa prática no número inicial de membros da comunidade, devemos iniciar com um beta? x% da base de clientes?”

 

Respondendo a essa pergunta, a Estela disse que ela começou com uma comunidade pequena e desengajada. 

 

Pra conseguir aumentar sua comunidade, ela contou com a ajuda de embaixadores que trabalhariam junto com eles. 

 

Outra pergunta foi:


-“Como vocês medem o sucesso da comunidade? O que consideram engajamento em uma comunidade? Fazem relatórios de quanto em quanto tempo sobre engajamento?”

 

Samanta respondeu dizendo que na sua comunidade eles medem NPS de todo os eventos realizados e também pedem o feedback dos membros para saber a opinião deles em determinados assuntos.

 

Como ferramenta ela disse que usa o Discord e com essa ferramenta ela consegue medir as métricas e ver os gráficos do mês, dia e ano.

 

O Sandro Baumann perguntou:

 

-“Onde o CM costuma ficar dentro de uma organização? Faz parte do marketing, produto, outra área ou fica separado?”

 

A Samanta respondeu: “Eu fico dentro da arquitetura de software, mas agora a gente tá migrando pra área de gente.”

 

 


Em quais empresas um Community Manager pode trabalhar?

 

 

Emiliano finalizou dizendo: “As pessoas estão precisando de ajuda e esse é o trabalho do cm e quando vocês conectam isso com com a empresa, transformam isso em uma vantagem competitiva, então ninguém consegue copiar isso de vocês”.



 

 

Para assistir a próxima aula da maratona, faça sua inscrição gratuitamente clicando aqui!

Vamos te mostrar o passo a passo pra criar seu planejamento de comunidade. Está imperdível!

 

 

 

 

Amanda Salim

Amanda é jornalista, especialista em comunicação digital e cofundadora da CM School.

 

 

Receba nossa newsletter semanal